Abstract: art of design (netflix)

5 motivos para acreditar que um profissional superstar mora em você (também; agradeça à abstract [netflix]!).

em 8 episódios, a série documental “Abstract: the art of design” (Netflix) apresenta como alguns dos profissionais mais icônicos em ilustração, arquitetura, moda, cenografia, design automotivo, gráfico, de interiores e fotografia construiram parte da sua jornada e apresentam sua “visão superstar” de como é praticar a arte do design.

Profissionais mais consolidados / mais rodados, experientes podem até vir a reclamar do perfil informecial / showoff de 40 minutos acerca de como cada um dos escolhidos é foda, e como tudo é muito superficial.

Contudo, é o tipo de discurso que vem de quem gosta de apresentar um olhar blasè sobre as coisas, e não virou um daqueles superstars justamente por menosprezar mecânicas necessárias para chegarmos ao nivel especial de ganhar dinheiro com aquilo que dominamos e sermos reconhecidos por aquilo que gostamos de fazer.

A série não é voltada para o umbigo do mercado de profissionais de design, e sim para o consumidor medio da plataforma.

Edição e fotografia à homenagear saul bass, direção de arte de encher os olhos e foco em, como o nome sugere, mostrar que as facetas da “arte do design”, quando reunidas, formam uma figura abstrata (que possui alto grau de generalização, mas também pode ser de dificil compreensão, obscura), transformam a série em 8 oportunidades para inspiração “fora do padrão”.

Usar o termo arte para o que sempre vi como artesanato, é um meio de pegar o espectador padrão para compreender quase que de maneira mitificada como é estar no topo do reconhecimento em cada área de trabalho.

Se há o lado negativo de deixar uma impressão de que só existe vida competente nos EUA e Europa quando se fala em design, tem também algumas lições para como cada profissional pode tornar-se um superstar em suas carreiras:

  1. As condições que encontramos, as pessoas que conhecemos, e o sucesso que alcançamos podem até depender de sorte, mas são essencialmente fruto de bastante preparo e escolhas claras. Nenhum dos apresentados disse que não sabia o que queria da vida e um dia enxergou-se fazendo aquilo, pelo contrário: todos atingiram um nivel de obsessão pelo que desejavam dominar, e ainda não pararam com ela. Apenas ganharam margem para experimentar novas fronteiras.
  2. Você vai trabalhar muito mais do que imaginaria para poder “chegar lá”. Todos os profissionais deixaram explicito que, além da pressão, foram muitas noites em claro e pequenos grandes trabalhos até que se chegasse ao panteão da carreira [e da capacidade de gerar muito dinheiro com ela].
  3. Trabalho e paixão podem ser as mesmas coisas, desde que você aprenda as principais regras dos jogos de sua área, para ser capaz de quebrá-las.
  4. A excelência leva tempo. E quanto mais tempo é investido em tornar-se excelente, mais próximo dela você chega. E excelencia é um estado, não um status. Mantê-la é mais complicado do que alcançá-la.
  5. O nome que assina pode vir a ser o seu, mas você não trabalha sozinho. Mentes originais, ideias geniais, levam assinaturas unicas, e costumam vir de uma só cabeça. Mas sua materialização prescinde de outras mentes, igualmente (muitas vezes até mais) brilhantes para a obtenção de sucesso.

Um profissional superstar mora em você também! Acima descrevo 5 oportunidades para revelar se o estrelato também mora aí. E se não morar, não tem problema: nem sempre precisamos de holofotes, confetes, associações de qualidade meramente superficiais.

Se nos identificamos com o que fazemos, encontramos um meio de expressão de nossa capacidade intelectual, e o fruto resultante impacta além da nossa satisfação, já somos estrelados. Brilhamos no céu de quem precisa, e não naqueles que achamos que precisamos ser vistos.

Fonte da imagem de capa: https://qz.com/916402/netflixs-new-design-series-spreads-the-wrong-idea-about-design/