Mudou o meio, não mudou a mensagem.

Estranho e curioso acompanhar esse tantão de coisa pasteurizada, igualzinha por aqui, online. Marcas, pessoas por trás da marca, as pessoas-marcas [sabia que você, sendo quem é, é uma marca também?], ainda fazem marketing 0.0 nessas eras de comunicação 2.0. Aliás, sequer deveriam fazer marketing, esse das graduações, MBA´s e afins.

Já reparou nesse “diferente” que é igual? A mesma [boa e velha] promoção batida, o mesmo clichê da gritaria do varejo, apenas num suporte diferente.

ao engajar os tuiteiros de maior audiência, não estou perguntando em caixa alta “quer pagar / me dar quanto”?

Quando crio um ciclo de “siga-me para ganhar”, não continuo estabelecendo 1 imagem de que só tenho valor se ofereço “gratuitamente” algo para esse engajamento de marca? Isso não é relacionar a marca, é prostituí-la.

E convidar todo mundo a ser “mais prostituto” de sua marca. Fazer porque “todo mundo tá fazendo”, é assinar seu atestado de comodismo. Ou diferente é fazer igual e só eu não descobri?

relacionamento de uma via não existe.

Repetir [sem agradecer] seus elogios, enfurecer-se e multiplicar em progressão geométrica as críticas recebidas, ostentando em seus escudos da liberdade de expressão e justiça, a libertinagem e falta de senso; convidar a um relacionamento, mas sair dele assim que a outra pessoa compra essa ideia.

adular quem te afofa o saco e desfazer-se de quem te ajuda / acompanha sem mais nem por que, por pura e essencial boa vontade / prazer em fazê-lo. Ocupar um espaço, mas não ser presente entre as pessoas / grupos que dedicam alguma forma de tempo ou espaço para ti. A mesma comunicação de uma via, só que agora com a clara noção do que pode ser visto, lido e ouvido nas duas faces dela.

Relacione-se mais, comunique menos [estou sendo repetitivo!]. Responda mais, pergunte melhor. Engaje mais, venda-se menos. Não diga apenas o que as pessoas dizem sobre você: diga o quanto isso lhe faz bem e retribua com reciprocidade [que não é dar o mesmo que recebeu, e sim um pouco do que você tem de melhor!]. Siga menos cartilhas de mkt e gestão de carreira, ouça mais conversas, escute mais as pessoas.Pareça menos, seja mais. Marcas, pessoas por trás das marcas e pessoas-marcas. Seja .com tudo, seja @vocemesmo.